quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Honda CG agora tem garantia de três anos

O novo plano é válido para as motos compradas a partir de 1º de dezembro de 2013 

 Três anos de garantia, além de sete trocas de óleos grátis para a linha CG Titan e Fan 2014 sem limite de quilometragem. Este é o diferencial que a Honda está oferecendo aos consumidores que compraram o modelo a partir de 01 de dezembro. A ação, que serve tanto para fidelização, como ferramenta para valorizar a motocicleta no momento da revenda, é a aposta da marca para aquecer suas vendas no ano que vem.

 O estudo para ampliação da garantia, iniciado em 2006, foi colocado em prática justamente no momento em que a Honda comemora 10 milhões de unidades vendidas de seu carro-chefe, a linha CG, que representa mais de 45% do total das vendas da Moto Honda. “Nossa intenção é revolucionar o mercado de duas rodas no Brasil. Com esta ação queremos preservar e valorizar o patrimônio de nosso cliente, agregando mais valor ao produto”, explica Marcelo Langrafe, gerente geral de pós-venda da Honda.
A nova garantia de três anos cobre as linhas Fan e Titan da Honda CG 

 Alexandre Cury, gerente geral de vendas da Honda, segue o mesmo raciocínio de Langrafe: “Além de um maior valor de revenda, teremos uma motocicleta mais segura para quem está adquirindo um produto Honda”. Agora, além do manual do proprietário o consumidor receberá um mini folder com o termo de garantia adicional, assinalando as revisões e também as trocas de óleo grátis.

 Mas, uma coisa precisa ficar clara: garantia não tem nada a ver com desgaste natural das peças, como pneus, pastilhas e lonas. O serviço está diretamente ligado a alguma anomalia na produção da peça, enquanto a troca de óleo deverá ser feita exclusivamente na concessionária onde foi feita a compra. Por enquanto, o novo plano de garantia de três anos cobre apenas as linhas Fan e Titan da CG. Segundo Langrafe, a CG Cargo ficou de fora por ser um produto voltado a um uso mais severo. No entanto, a Honda não descarta a possibilidade de expandir esta ação para outros modelos de entrada, como a Biz, por exemplo. (por Aldo Tizzani)