quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Medidas do Banco Central devem incentivar financiamento de motos

Em 14 de setembro último, o Banco Central do Brasil aprovou circular que reduz a alíquota do compulsório sobre depósitos à vista e a prazo, simplifica as regras e promove outras alterações. Entre elas está o fato de que as instituições financeiras podem deduzir do depósito compulsório as operações de financiamento de motocicletas. Com isso, o objetivo é liberar dinheiro dos depósitos compulsórios para a criação de linhas de créditos especiais para esses veículos. Como grande parte das motos produzidas no Brasil, são feitas no Polo Industrial de Manaus, onde já há isenção do IPI, essa foi a maneira que o governo encontrou para estimular o crescimento do setor, que passa por dificuldades neste ano: de janeiro a agosto, houve queda de 19% nas vendas financiadas, com relação ao mesmo período de 2011: de 561 mil para 454 mil unidades. A Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares) acredita que a medida deve estimular a flexibilização da oferta de crédito e a abertura de linhas especiais, favorecendo as condições de parcelamento para o consumidor final. Para a entidade, a decisão deve auxiliar a retomada da recuperação do segmento de motocicletas, pois 80% das vendas são destinadas às classes C, D e E, que necessitam de uma modalidade de parcelamento para aquisição do veículo.