quarta-feira, 2 de novembro de 2011

O CIDADÃO MOTOCICLISTA E O COLETE ESCUDADO




Tenho muito carinho e respeito por muitos amigos que fiz no mundo dos MotoClubes.

Conheci essas pessoas atraves de eventos de MC, rodando com eles ... pessoas realmente magníficas que com certeza estarão sempre morando no meu nicho de amizade, respeito e dignidade.

São pessoas que me recebem com carinho e calor, que me abraçam cada vez que me vêem e me causam a mesma emoção toda vez que as encontro, sejam nos eventos, ou até mesmo fora desse universo motociclistico

São essas pessoas maravilhosas as quais tenho muita consideração... Aquelas que eventualmente me conheceram vestindo um colete e ostentando um brasão, mas, independentemente de me verem "fardado" de colete e escudo, mantém o mesmo nível de amizade e atenção comigo e vice versa. Podemos nos encontrar no horário de trabalho, ou podemos nos contactar para assuntos de amizade fora de nossas fileiras, fora de nossos pelotões, fora de nossos eventos de motoclubes, sentiremos nele a mesma atenção, a mesma amizade, a mesma cumplicidade de quando estamos fardados com roupas e paramentos de motoclubes.

Estes, são meus irmãos de estrada e que eu os considero profundamente, além de coletes e escudos, até mesmo além de suas motocicletas.

Mesmo porque, não é a motocicleta, não é o colete e tão pouco o escudo que dá dignidade ao cidadão que o ostenta, assim como a ampla maioria de nós que vivemos por acreditar quando abraçamos motociclistas em eventos... pessoas que nem conhecemos sua origem e principalmente sua intenção, mas pelo simples fato de estarem com um colete cheio de pats e botons de MCs trocamos abraços e beijos as vezes não tão sinceros, porem o fazemos mais por osmose e força do "vício" da postura.

O que nos dá a dignidade é nosso comportamento no dia a dia, é a nossa maneira de pensar e nossas atitudes humanas... Assim como conheci pessoas maravilhosas que andam de motocicleta independente de estarem ou não num MC e que em momentos que mais necessitei de ajuda, foram estes que me socorreram desinteressadamente, independente de eu ostentar um pat no colete dizendo que eles são "MOTOQUEIRO É A PUTA QUE PARIU".

É como dizer que o hábito não faz o monge, pois há muito mais monges vocacionados fora do mosteiro do que dentro dele.

Há pessoas muito boas e outras pouco interessantes em TODOS OS MOTOCLUBES.

Temos que separar essa fantasia de motociclista do cidadão dígno que há em cada um de nós.

Temos que abraçar nosso amigo como irmão, e não apenas o seu colete.

e é isso que está me pegando como cidadão, como motociclista, como coletado, como escudado e como presidente de MotoClube.

Eu considero de verdade, as pessoas de verdade, os amigos de verdade, e não apenas seu colete ou seu escudo, embora eu tenha respeito pelas tradições criadas pelos mais sérios brasões que já conheci.
E com certeza este aqui é um dos quais eu respeito.

- Por uma atitude de preservação da autenticidade
- Contra a hipocrisia que engana desavisados
- Contra as fantasias que não representam seus atores
- Contra a comercialização de nossa imagem
- Contra o abuso com nossas bandeiras em prol do lucro financeiro e politico de alguns poucos
- Por um motociclismo verdadeiro e ético