domingo, 30 de outubro de 2011

CANTO DA ESTRADA




MONTADO EM MINHA MOTOCICLETA
E DE CORAÇÃO LEVE
EU ENVEREDO PELA ESTRADA,
SAUDÁVEL, LIVRE,
COM O MUNDO À MINHA FRENTE,
LEVANDO-ME AONDE EU QUERIA.
ESTRADA MINHA E DE TODOS,
O QUE POSSO LHE DIZER
É QUE NÃO TENHO MEDO DE DEIXÁ-LA,
POR MAIS QUE A AME
VOCÊ HÁ DE SER PARA MIM
MAIS DO QUE O MEU POEMA.
EIS COMO HÃO DE SER OS DIAS
QUE LHE PODEM SUCEDER
NEM BEM CHEGANDO À CIDADE
À QUAL ERA DESTINADO
DIFICILMENTE SE HÁ DE ESTABELECER
E TER ALGUMA SATISFAÇÃO
SEM QUE OUÇA UM APELO IRRESISTÍVEL
A DE NOVO PARTIR